webJudaica.Com.Br
Seu portal Judaico na Internet
16/Dec/2017
Kislev 28, 5778

Sign in with Facebook

Festas Judaicas (Chaguim)

Purim

Curiosidades sobre Purim

Purim é mencionado na Bíblia?

O estabelecimento da festa de Purim é de certa forma descrito na Bíblia, até porque a Meguilá Esther faz parte dos 24 livros da Bíblia. Mas ainda é considerada uma festa "rabínica", porque foi instituída por profetas, diferente de Pessach e Sucot, que aparecem nos Cinco Livros de Moisés.

Não existe mais reis ou rainhas poderosos, nem homens maus, qual relevância tem Purim para mim nos dias de hoje?

E o que dizer sobre Osama bin Laden, Yasser Arafat e tantos outros terroristas que desejam nos destruir? A triste verdade é que sempre existirá muitos "Hamans" esperando por uma oportunidade para nos perseguir e aniquilar.

Como a Torá espera que nós reajamos frente a essas terríveis pessoas e organizações terroristas? Simples, basta olharmos na Meguilá e ver como os Judeus naquela época responderam ao Haman original.

O plano de Mordechai e Esther era audacioso. Esther não era chamada perante o rei há trinta dias, e aproximar-se dele inesperadamente poderia facilmente resultar numa execução imediata. Vale lembrar que o rei Ahasuerus já tinha matado a rainha anterior (Vashti)! E mesmo que o rei permitisse Esther de aproximar-se e expor seu caso, quem garantiria que ele atenderia seu pedido de clemência?

Mas Mordechai e Esther sabiam que seu "plano" era de segunda importância. Eles sabiam que a salvação viria de D'us e somente Ele poderia determinar se o "plano" funcionaria ou não.

Sendo assim, Esther disse para que todos os Judeus de Shushan jejuassem, rezassem por três dias. Enquanto isso, Mordechai juntou 22.000 crianças judias e começou a ensiná-las Torá. D'us ouviu as rezas e milagrosamente o plano de Esther deu certo.

Sim, devemos usar todos os meios normais a nossa disposição para lutar contra nossos inimigos. Porém devemos sempre lembrar de usarmos nossa “Arma Maior" que ultimamente é nossa Torá, Mitzvot e rezas, que garantem nossa sobrevivência.

Moisés comemorou Purim?

O milagre de Purim ocorreu perto de mil anos após a morte de Moisés.

Mas nossos sábios dizem que Moisés foi mais do que um ser humano, ele é um legado que continua presente por toda a nossa história. Toda geração tem seu próprio "Moisés". Isso se refere ao líder espiritual da geração, aquele que inspira o povo a acreditar em D'us e conectar-se a Ele através da Torá e Mitsvot.

Modechai foi o Moisés da história de Purim. Quando o plano de Haman tornou-se conhecido, foi Mordechai quem fez com que os Judeus entendessem que Haman e Ahasuerus eram meras ferramentas para implementar um plano divino. Então a solução deveria ser um fortalecimento da nossa relação com D'us. Conseqüentemente ele mobilizou os Judeus para rezarem, jejuarem, garantindo assim a salvação.

Respondendo a questão: Moisés não ouviu a Meguilá em 14 de Adar, mas seu espírito com certeza estava presente na história de Purim.

O que Vashti fez para merecer um destino tão terrível?

Vashti (rainha de Ahasuerus até ele saber sobre a sua recusa em participar do seu banquete) não foi uma grande pessoa, a ponto de sentirmos pena.

Ela era neta de Nabucodonosor, o homem que destruíu o Primeiro Templo e mandou todos os Judeus para o exílio. Ela herdou do seu avô um profundo ódio pelos Judeus. No Shabat, chamava as crianças Judias e forçava-as a executar trabalhos humilhantes no seu sagrado dia de descanso. Por isso também que ela foi punida no sétimo dia do banquete, que era também o sétimo dia da semana, ou seja, o Shabat.

Por que Moderchai instruiu Esther a esconder sua identidade judaica?

Os comentaristas nos dão inúmeros motivos. Aqui estão dois:

1. Mordechai queria ter certeza de que ela conseguiria continuar observando os mandamentos da Torá. A corte pérsia não sabia da sua simpatia pelos costumes judaicos. Ou seja, quanto mais secreto ela mantivesse seu judaísmo, seria mais fácil cumprir os mandamentos em segredo.

2. Ele temia que um dia Ahasuerus se aborrecesse com Esther como tinha sido Vashti. Se ele soubesse que ela era Judia, ele poderia descontar sua raiva por ela em todo povo (Targum).

Como Esther manteve o Shabat sem levantar suspeita?

Esther tinha sete empregadas (Esther 2:9). Ela fazia um rodízio entre elas, para que cada uma servisse num dia da semana. Dessa forma, a empregada que servia ela no Shabat só a via naquele dia e achava que Esther nunca trabalhava. Nos outros dias ela trabalhava porque sabia que ficar sentada sem fazer nada não seria saudável para sua saúde mental.

Como Mordechai ouviu o plano de matar o rei?

Alguns dizem que ele soube do plano através de uma visão profética (Targum Sheini).

O Talmud diz que os dois conspiradores, Bigsan e Seresh, estavam conversando na sua língua nativa, o Tursi. Mordechai era membro do Sanhedrin, e sendo assim era fluente em 70 idiomas. (Pelo menos, alguns membros do Sanedrín deveriam ser fluentes em todos os idiomas. Isso porque eles precisariam interrogar as testemunhas na sua língua mãe e não era permitido o uso de intérpretes.)

O que aconteceu aos Judeus após o episódio de Purim?

Aproximadamente três anos depois Darius II (filho de Esther e Ahasuerus, que sucedeu seu pai como rei um ano após a história de Purim) permitiu aos Judeus reconstruir o Segundo Templo Sagrado em Jerusalém. Estava em ruínas por 70 anos, desde sua destruição por Nabucodonosor em 422 a.e.c. (Os profetas Judeus anunciariam que os Judeus ficaram no exílio por 70 anos.)

O Templo foi concluído logo após este episódio e os Judeus começaram a retornar para sua terra. O Segundo Templo durou mais 420 anos, até o ano de 69 da e.c.

Por que o nome de D'us não é mencionado uma única vez na Meguilá?

Num nível mais elevado, a idéia é de que no milagre de Purim D'us não foi revelado. Diferente do milagre de Chanucá, por exemplo, quando algo sobrenatural ocorreu: um pote pequeno de óleo durou por oito dias. Ninguém confundiria aquilo como um fato natural. Mas em Purim, os fatos aconteceram sucessivamente: Esther tornou-se rainha, ela teve acesso ao rei, Mordechai acabou sem querer ouvindo o plano dos dois rapazes que queriam matar o rei etc. etc. Então todos esses eventos poderiam ser mal interpretados como eventos naturais, ou simples "coincidências" se você preferir. Claro que tudo foi orquestrado por D'us para proteger os Judeus – mas não estava na sua cara. Ele estava trabalhando as coisas por trás da cena.

Por isso que Seu nome não foi mencionado, para enfatizar o fato de que mesmo quando não vemos os milagres abertamente, não significa que D'us não participou do espetáculo. Como nos dias de Purim, a presença de D'us pode estar oculta – mas não significa que Ele não esteja lá fazendo Suas coisas.

Esther era sobrinha ou prima de Mordechai?

Esther era filha de Avichayil, que era tio de Mordechai, por isso eram primos. Mordechai adotou Esther após a morte do seu tio.

Talvez você pudesse perguntar porque sempre dizem que ele era tio dela?

Provavelmente devido a diferença de idade entre eles. É muito mais lógico supor que uma criança órfã que cresceu como sua própria filha é de uma geração mais nova – uma sobrinha – e não da mesma geração, como uma prima. Mesmo possível, trata-se de um mal-entendido de Esther 2:15, quando se lê: "...Esther a filha de Avichayil, o tio de Mordechai...”, quando numa leitura rápida ou até mesmo desatenta, parece "Esther... Tio Mordechai" e dai a confusão.

[Existe uma opinião no Talmud que Esther era sua esposa, não (somente) ele a adotou como filha. Baseado na leitura da palavra hebraica "bat" (filha) como "bayt" (casa): bayt significa esposa na terminologia do Talmud.]

O que Esther comeu no banquete não-kasher do rei?

Na Meguilá Esther (2:9) lemos que Hegai, o guardião das mulheres, fez algo especial para Esther e suas servas. O Talmud (Meguilá 13a) nos dá inúmeras possibilidades sobre o que vinha a ser este tratamento especial.

Os rabinos dizem que ele lhe deu comida Judaica. (Apesar de Esther nunca ter dito que era judia, sabia-se que ela tinha crescido na casa de Mordechai. As pessoas achavam que apesar de Mordechai ter adotado Esther ela não fosse Judia. Então Esther disse que queria comida Kasher, porque era o que ela estava acostumada a comer.)

Shmuel disse que ele lhe deu bacon (oy gevald!). Não se preocupe, existe opinião que ela não comeu. Porém, alguns dizem que ela foi forçada a comer (Rashi). O comentarista Torá Temimá sugere que lhe tenham oferecido este bacon, mas ela não teria aceito. De acordo com a leitura de Aruch dos textos, não foi bacon, mas uma cobertura, um creme, de alface.

Se Esther era Judia e se casou com um rei não judeu, por que a intolerância com os casamentos mistos?

Você entende que o relacionamento de Esther com Ahasuerus não era legal? De fato, de acordo com o Talmud, Esther já era uma mulher casada e feliz; casada com seu primo Mordechai.

Você poderia perguntar: então Esther não estava interessada em ganhar o "concurso de beleza"? Essa é uma impressão que muitos têm dos tempos de escola...

Absolutamente não. A Meguilá nos conta que enquanto as mulheres gastaram 12 meses se embelezando com produtos cosméticos, se preparando para o grande evento real, Esther exigiu que nenhum ajudante de beleza fizesse nada nela.

A vida pessoal de Esther é o lado triste da história de Purim frequentemente esquecido. Na verdade ela trouxe a salvação para todos os seus irmãos — o que certamente lhe trouxe uma enorme satisfação—mas teve que pagar um preço muito alto por essa salvação. Nossa heroína justiceira habitou por anos num palácio pagão. Tendo em mente por anos toda selvageria e corrupção vividas numa típica corte real.

Acredito que isso nos ensina que a liberdade e o sucesso de uma pessoa são sempre resultado do sacrifício de outra.